Se no último post rumamos juntos até à Suíça, hoje voltamos a Portugal. Dia 26 de Junho visitei - finalmente - os Passadiços do Paiva e hoje partilho convosco a minha experiência/opinião e falo-vos um pouco dos Passadiços, do percurso e tudo o que fiquei a saber. Para quem não sabe, os Passadiços do Paiva localizam-se na margem esquerda do Rio Paiva, no concelho de Arouca. Podem ser visitados das 9h às 17h de Novembro a Março e das 7h30 às 20h de Abril a Outubro e exigem uma pré-reserva (que tem o custo de 1€) no site oficial, onde podem ver a disponibilidade de bilhetes. 




O percurso tem cerca de 9 km (8700 metros) e uma duração média de 2h30. Pode fazer-se em dois sentidos diferentes: do Areinho a Espiunca e vice-versa. O nível de dificuldade é alto, no entanto, aquilo que vos aconselho é que iniciem o percurso no Areinho porque tirando o início do percurso que tem 560 escadas (acho!) antes de chegar à entrada, a partir daí o percurso faz-se bem uma vez que escadas só a descer e depois é sempre plano, descidas e pequenas subidas pontuais. 
Ao longo do percurso encontram três praias fluviais, a praia fluvial do areinho, a praia fluvial do Vau - mesmo a meio do percurso - e a praia fluvial de Espiunca. Em frente a cada uma das praias encontram um bar onde podem comprar algo para comer e/ou beber, casas de banho e parques de estacionamento (excepto na zona do Vau, que não tem parque de estacionamento).
O percurso tem algumas zonas de sombra, no entanto, a maioria do percurso é ao sol por isso não se esqueçam de colocar protetor solar para não apanharem um escaldão nos braços como algumas pessoas (diga-se, eu).


A meio do percurso encontram também uma ponte suspensa que vos permite atravessar o rio e ver um pouco mais da paisagem, no entanto, não é necessário atravessar a ponte para terminar o percurso. Quem não aguentar o percurso inteiro, tem a possibilidade de sair a meio, na Zona de Lazer e Recreio do Vau.
Ao longo do percurso é possível ver a Garganta do Paiva, a Cascatas das Aguieiras, a Praia Fluvial do Vau, a Gola do Salto e a Falha da Espiunca, tudo paisagens e rodeadas de Natureza.

Quem quiser arriscar e fazer o percurso de ida e volta (quase 18km), recomendo que inicie o percurso em Espiunca. Quem apenas quiser fazer um sentido, o melhor a fazer é ir com amigos e levar dois carros e deixar ficar um em Espiunca e outro no Areinho para não terem de apanhar um táxi (que tem um custo de cerca de 10/15€). Assim, no final do percurso regressam ao início no carro que se encontrar lá.



Quanto à minha experiência, comecei no Areinho e segui até Espiunca. Custou-me horrores subir as 560 escadas logo no início e cheguei a pensar que ia desistir ali graças ao meu joelho. Depois das escadas, foi incrível. A partir daí e tal como vos disse, faz-se muito bem e vale muito a pena pelo sossego, pelo contacto com a natureza e as paisagens. Atravessei a ponte suspensa por mera curiosidade e, depois de terminar o percurso enfiei-me na Praia Fluvial da Espiunca para almoçar e relaxar. Foi um dia em grande que não me importava de repetir (podemos só avançar a parte das escadas, por favor?). E é isto. Agora gostava que me contassem se já conheciam, se já visitaram e, claro, já sabem que qualquer dúvida podem deixar nos comentários que terei todo o gosto em responder e ajudar-vos.

Tinha acabado de publicar este post quando, por acaso, vi isto. Se quiserem ver os Passadiços de uma perspetiva diferente, podem fazê-lo.
GuardarGuardar
GuardarGuardar