Barcelona Espanha

Depois de um primeiro dia mega preenchido, é seguro dizer que o nosso segundo dia em Barcelona foi bem mais tranquilo. Foi o dia de regressar a casa depois desta curta viagem mas não sem visitarmos o Parque Güell, o Arco do Triunfo e o Castelo de Montjuïc.

El Drac Parque Güell

Parque Güell

Tenho que vos confessar: nós não nos entendemos minimamente bem com o mapa dos autocarros. E, tendo em conta que já estávamos bastante familiarizados com o metro, decidimos que este seria a opção mais indicada para irmos até ao parque. Bad decision. A caminhada desde a estação Lesseps até ao parque é gigante. Pelo menos foi o que nos pareceu com aquele calor horrível. Mas, descansem, não repetimos a proeza para ir embora.

Uma vez mais, os nossos bilhetes foram comprados online e, como tal, tinham hora marcada. E digo isto porque é importante que cumpram esses horários porque, no caso do Parque Güell, a tolerância é apenas de meia hora e depois não vos deixam entrar. É uma questão de se organizarem bem e, desde que cheguem na hora prevista, entram sem qualquer problema.

Parque Güell

Podemos dividir o parque em duas zonas: a primeira (e maior), é grátis; a segunda (e mais bonita), é paga. A zona gratuita é um parque normal, como aqueles que temos nas nossas cidades. Apesar disto, é aqui que temos o Monumento ao Calvário, que adorei. Parece impossível mas, na altura em que o parque foi construído o projecto foi um fracasso e precisamente no sítio deste monumento era suposto ser construída uma capela que, devido ao fracasso, acabou por se desistir da ideia. No lugar da capela, colocou-se três cruzes e, como o monumento está construído no ponto mais alto da colina do parque, oferece-nos uma vista panorâmica incrível sob a cidade.



É na zona paga que encontramos os pontos mais interessantes do parque (óbvio). Aqui, destacam-se a entrada principal, sala hipostila, as fontes da escadaria principal e a praça oval com os bancos ondulantes.

A entrada principal é onde se encontram os dois pavilhões que transpiram o estilo de Gaudí. O pavilhão maior, era destinado ao porteiro, que vivia aqui com a sua família e ainda hoje pode ser visitado (apesar de atualmente não ter o mobiliário da casa). O pavilhão menor, era onde os residentes recebiam as visitas (no rés-do-chão) e possuí ainda dois terraços e uma escadaria que dá acesso a um miradouro localizado na torre. Atualmente, o rés-do-chão é a loja onde podemos comprar souvenirs e os terraços e a torre não estão abertos ao público.



A sala hipostila localiza-se no topo da escadaria principal e contém 86 colunas e um teto cheio de mosaicos. No teto, temos quatro rosetas principais, sendo que cada uma delas representa uma estação do ano.

A escadaria principal possui três fontes, sendo que uma delas é o El Drac, o famoso lagarto colorido por mosaicos de Gaudí, que se converteu no símbolo do parque e ainda num dos símbolos mais famosos da cidade de Barcelona.



A praça oval é onde se encontram os bancos ondulantes, também eles coloridos por mosaicos de diferentes cores e padrões e é, também, um miradouro incrível onde podemos apreciar Barcelona que se estende até ao mar.

Apresentações feitas tenho a dizer-vos que o Parque me surpreendeu imenso. Apesar da quantidade de turistas circulava-se na perfeição - para terem noção, o pavilhão maior tinha uma fila cujo tempo de espera previsto era 45 minutos e eu, teimosa da vida, resolvi que queria esperar e não demoramos mais de 10 minutos a estar lá dentro (how amazing?). O parque é muito bonito e vale cada cêntimo mas para isso é preciso que o visitem com tempo porque, uma vez mais, é preciso apreciar e absorver tudo. Só assim conseguimos gostar verdadeiramente das obras de Gaudí.



Arco do Triunfo

Saímos do Parque Güell em direção ao Arco do Triunfo e, tenho de vos confessar, fiquei verdadeiramente espantada com o monumento. Era muito maior do que aquilo que eu imaginei e avenida onde se encontra é mesmo bonita com todas aquelas palmeiras e toda aquela vida ao redor. Eu sinto-me uma criança feliz numa loja de guloseimas quando encaro com coisas assim, que me absorvem as energias negativas e me fazem esquecer tudo por momentos. E eu senti-me assim ali, no meio daquelas pessoas e naquela avenida: genuinamente feliz. Talvez seja por isso que Barcelona ficou com um pedacinho do meu coração.



Castell de Montjuïc

Depois de um almoço fresco - era tudo o que nos apetecia no meio daquele calor - seguimos para o Castelo de Montjuic. A última paragem antes do regresso a casa. Seguimos então para a entrada do funicular de Montjuïc (que estava incluído no passe que compramos). Graças à Sara, sabíamos de antemão que o funicular nos levava apenas à base do teleférico e não castelo e sabíamos exactamente que autocarro apanhar aí (150). Mais fácil, impossível. Obrigada, Sara. Sabes que foste uma ajuda preciosa nesta viagem.



O Castelo de Montjuïc foi uma fortaleza militar construída no ponto mais alto da colina de Montjuïc e actualmente, acho que as pessoas o visitam mais pela vista sob a cidade que este nos oferece. Conseguimos ter uma vista de 360° e, de todos os miradouros que visitei, este foi aquele em que vi o Porto de Barcelona e o meu favorito. Tal como a Sara também disse, é fantástico visitarmos a cidade e, no fim, subir ao castelo e identificarmos alguns dos sítios por onde passamos. É o culminar de uma viagem perfeita, numa cidade incrível.



O Castelo não é extraordinário. É comum a tantos outros. O que os outros não têm é aquela vista de cortar a respiração. Nós sentamo-nos ali uns minutos, a observar o porto, os barcos que entravam e saíam e os aviões que aterravam constantemente e foi uma sensação absolutamente incrível. Poucas coisas me relaxam tanto como me sentar em sítios novos, observá-los e absorver tudo o que têm para me oferecer. Desejei ficar ali horas. Pouco tempo depois estávamos no autocarro com destino ao aeroporto, prontos para nos despedirmos desta cidade incrível. Queremos muito voltar.




O nosso segundo - e último - dia em Barcelona chegou ao fim. Mas ainda tenho mais uma publicação preparada, cheia de dicas e sugestões. É também a publicação onde planeio responder a alguma dúvida que tenham por isso deixem as vossas perguntas nos comentários. Até já!