À medida que marquei novas viagens e embarquei em novas aventuras, fui aprendendo algumas coisas e seguindo alguns truques. Hoje, decidi partilhar convosco alguns dos meus truques e regras de ouro. Aquilo que aprendi sozinha e aquilo que me ensinaram. Os truques que me fazem aproveitar melhor uma cidade e os truques que me faz economizar naquela cidade e naquela viagem. Espero que gostem. E que seja útil para algum de vocês.

Voo

1. Reservar com antecedência e ser flexível
Esta é a dica que nos pode fazer poupar muito numa viagem. Reservar um voo com antecedência é a regra de ouro para encontramos um preço muito mais simpático, até porque o preço de um voo vai aumentando de acordo com o número de pesquisas para esse voo e, portanto, quanto mais tarde reservarem, maior é a probabilidade de haver um maior número de pesquisas. Se puderem, tentem aliar a antecedência com a flexibilidade - nas datas e nos destinos. Prometo que, se o fizerem, não há como falhar. Vão poupar.

2. A roupa mais volumosa vai no corpo
Principalmente quando vamos para destinos mais frescos, é muito difícil colocar tudo dentro de uma mala. Ainda que levemos poucas coisas, a roupa de inverno é sempre muito volumosa e é muito complicado principalmente quando vamos viajar apenas com a bagagem de mão. O truque? Levar as coisas mais volumosas no corpo, como o casaco, por exemplo. E eu sei que pode parecer complicado levar apenas um casaco, mas basta escolhermos algo que combine com todos os conjuntos que escolhemos - não queremos encher a mala só com um casaco, certo?

3. Levar sempre pastilhas elásticas
Com a variação das pressão atmosférica, os nossos ouvidos acabam por sofrer. Na primeira viagem de avião que fiz, fiquei com imensas dores, com os ouvidos absolutamente entupidos e desesperada ao ponto de perguntar se havia alguma solução. A hospedeira de bordo disse-me para mascar uma pastilha elástica e, desde aí, eu levo sempre um pacote comigo. A verdade é que ajuda imenso!

Estadia
4. Acordar cedo
Para mim, não há como estar na ronha em viagens. Estou ali para ver tudo e aproveitar ao máximo - até porque não sei se algum dia volto ali - e, portanto, é obrigatório acordar cedo. E quando digo cedo digo, no máximo, às 9h. Se custa? Não. Basta pensar que, se acordar tarde, estou literalmente a desperdiçar metade do meu dia.

5. Andar a pé
Estou sempre a dizer que a melhor maneira de conhecer uma cidade é andar a pé e, portanto, esta dica tinha que estar aqui. Em viagens, evito o máximo que puder os transportes - sobretudo porque o transporte mais cómodo acaba por ser o metro e esse é maioritariamente subterrâneo, onde não vemos absolutamente nada a não ser pessoas e paredes pretas. Eu caminho o máximo possível - olá, 25km que fizemos num dia em Barcelona! - e acabo por descobrir locais que não iria descobrir de outra forma e me envolver muito mais com a cidade.

6. Ter sempre snacks na mala
Principalmente em cidades muito turísticas, a maioria dos cafés praticam preços muito altos - para terem uma pequena noção, eu paguei 6€ por um copo de coca-cola em Paris. E, neste sentido, não há melhor truque para economizar do que levar sempre connosco um snack e uma garrafa de água na mala ou na mochila.

7. Procurar o número de emergência
O 112 é o número de emergência em todos os países dentro da União Europeia. Mas... qual é o número para o qual devemos ligar nos outros países? Este é um pormenor que facilmente nos esquecemos mas é, ao mesmo tempo, um dos pormenores mais importantes. Nunca sabemos quando vamos precisar por isso informem-se sempre quando visitarem países fora da UE. É uma pesquisa que fazem muito rápido e que pode evitar problemas maiores.

8. Enviar um e-mail para mim com todos os bilhetes
Nos dias que antecedem a viagem - ou quando sei que já comprei todos os bilhetes que quero e preciso - envio um e-mail para mim própria com todos os bilhetes e a digitalização do documento de identificação em anexo. Se acontecer alguma coisa, eu sei que tenho tudo no e-mail e posso resolver o problema com alguma facilidade.

9. Viver ao máximo a cultura local
Quer seja experimentar um prato altamente típico ou alinhar num programa característico daquele destino, eu tento sempre viver a cultura e o espírito da cidade ao máximo. Para mim, não há melhor forma de conhecermos uma cidade do que nos envolvermos a 100% com os seus costumes e tradições e, por isso, alinho sempre.

Um beijinho,
Paula.