21 anos de vida. Dezenas de lições aprendidas e centenas de lições por aprender. Porque a vida é assim, uma constante aprendizagem. E foi quando menos esperava que o meu mundo desabou e, com isso, aprendi a lição mais importante de todas: eu importo. O que eu quero importa e o que eu não quero também importa. Eu importo, ponto.

No dia 1 de Maio de 2018 fiz uma coisa que achei que seria incapaz de fazer algum dia: uma tatuagem. Venci um medo desmedido mas, acima de tudo, cravei na minha pele para sempre uma mensagem que quero levar comigo para a vida inteira: you matter. Tu importas, Paula.

E cada vez que olhar para estas palavras que levarei comigo a vida toda - literalmente -, quero lembrar-me disso e cuidar de mim, por dentro e por fora. Cuidar mais da minha pele, do meu cabelo, do meu corpo e, acima de tudo, da minha mente. Quero lembrar-me de seguir os meus sonhos. Quero lembrar-me de ser mais confiante e de arriscar mais. Quero lembrar-me de me colocar em primeiro lugar. Quero lembrar-me de dizer "não" se não tenho vontade ou interesse. Quero lembrar-me de honrar o que estou a sentir. Quero lembrar-me que não há mal nenhum em sentir-me frágil e chorar abraçada às minhas pessoas. Quero lembrar-me de gostar de mim, de me aceitar como sou e de melhorar aquilo que eu acho que não está bem – por mim, e não porque alguém diz que devo mudar x ou y.

Quero lembrar-me que eu importo e eu sou suficiente. Quero lembrar-me de apreciar a minha própria companhia. E quero lembrar-me, acima de tudo, que não aprendi isto sozinha e que tive pessoas incríveis ao meu lado que estiveram ali quase 24h por dia, que mudaram as suas rotina, que vieram a correr, que fizeram 2000km para me abraçar e, com isso, me ensinaram outra lição: "tu importas, mas nunca estarás sozinha. Nunca. És especial e gostamos tanto, tanto de ti." A vocês, obrigada. Porque hoje, mais do que nunca, sei quem são as minhas pessoas.

Para vocês, que me seguem com tanto carinho, eu espero que isto vos inspire de alguma forma. Que vos ajude a gostar de vocês e acima de tudo espero que levem isto para a vida: quem desvaloriza aquilo que vocês estão a sentir, não é vosso amigo. É tóxico. E importamos demasiado para perdermos tempo com pessoas tóxicas.

"Façam o favor de ser felizes". (Raul Solnado).

Um beijinho,
Paula.